Artigo

Barretos, 12/09/2017 às 09:56:14

A Mãe das Dores

Legenda: Nossa Senhora das Dores
Crédito: Portal A12.com

Celebramos mais uma vez na liturgia desta sexta-feira (15), uma memória que vem nos lembrar de Maria. Dessa vez, Maria no título de Nossa Senhora das Dores. O evangelho do dia nos narra os últimos momentos de Jesus na cruz e sua mãe lá junto, aos pés de sua cruz.


Eis então que Jesus diz a Maria a seguinte frase: “Mulher, eis o teu filho”. Depois diz a João: “Eis a tua mãe”. Esse evangelho traz como um dos caminhos de compreensão a presença de Maria que segue os passos do filho; Maria é mãe até o extremo, que no caso era de morte. É talvez inimaginável para uma mãe vir o filho ser condenado e morto de uma maneira extremamente violenta, mas ela esteve lá até o fim.


A espada de dor que foi anunciada transpassa sua alma, conforme anunciado pelo velho Simeão (Lc 2, 35). Ao dar Maria como mãe a João, Deus através de Cristo nos concede a proteção materna: Maria se torna mãe de todos os discípulos, esses hoje que somos cada um de nós.


Jesus deu a cada uma de nós uma colaboradora nas dores e nos sofrimentos. É Maria que reza conosco junto a seu filho. Mas não fica por aí, tornar-se filho de Maria implica-nos a seguirmos seus exemplos sendo esses de fidelidade, de seguimento e de amor a Deus e seus projetos.


O “Sim” de Maria deve ser hoje também nosso sim que foi consumado numa vivência radical da missão recebida de Deus. Que nós possamos, também como João, acolher Maria como Mãe para com ela viver as dores, tristezas e alegrias de nossa vida.

Sobre Autor

Seminarista Pedro Lopes

Seminarista Pedro Lopes

É seminarista da Diocese de Barretos cursando o 2º ano de Teologia no Seminário Maior Sagrado Coração na cidade de São José do Rio Preto/SP. E-mail: pedrohenriquelopess@hotmail.com

Mais Artigos