Artigos


Artigo do Pe. Ivanaldo: Ser em relação


Sábado, 09 de outubro de 2021


Imagem | Artigo do Pe. Ivanaldo: Ser em relação

O maior desafio do ser humano é humanizar-se. Fortalecer aquilo que é próprio e único do e ao ser humano, embora pareça óbvio, cada vez menos pode ser tido como pressuposto. A realidade constata esta verdade: nunca foi tão difícil ser humano. Atingimos propósitos apregoados como garantia de felicidade pessoal e coletiva, superamos índices tidos como ideais na garantia da qualidade de vida, alcançamos patamares inimagináveis em tantos setores... No entanto, despencamos no quesito humanidade.
 
O fenômeno que caracterizou o mundo como ‘aldeia global’, embora trouxesse muitos benefícios, não atingiu seu principal propósito, diminuir distâncias entre pessoas e, se de alguma forma dissipou fronteiras, não aproximou pessoas. A revolução tecnológica, mãe da era digital, muito embora provocasse uma reviravolta, propondo ‘conexão’ e ‘rede’ como caminhos de aproximação, embora acrescentasse, sobremaneira, de tantas formas, não aproxima pessoas, talvez, pelo contrário, as afaste ainda mais.
 
Sem desmerecer a necessidade, valor e importância de tantos recursos que, sem dúvida, otimizam a vida humana, evidencia-se, no entanto, que fora colocado sobre movimentos de natureza comercial, econômica e tecnológica o pesado fardo de oferecer soluções ao que em nada, ou, em muito pouco deles depende primária e diretamente, a real aproximação de pessoas e entre pessoas. Nossas principais e maiores distâncias não são geográficas; nossas principais e maiores barreiras não são alfandegárias; nossos principais e maiores abismos não são econômicos.
 
Dentre os esforços por superar tantos desafios, possibilitando ao homem, individualmente e coletivamente, melhores e plenas condições de vida, a gestão de pessoas apresenta o conceito de inteligência relacional, termo cunhado por especialistas em liderança e carreira. Embora abordando por diversos segmentos ‘inteligência relacional’ recebe, agora, como enfoque, ser a habilidade de mobilizar pessoas e recursos em prol de um objetivo comum, potencializando criatividade, inovação e geração de resultados acima da média.
 
Criar laços que realmente valham a pena significa muito mais que, simplesmente, estar próximo fisicamente ou conectado virtualmente. Unir sabedoria, informação e dados é caminho para a busca de solução em todas as áreas. A ‘inteligência relacional’ exige desenvolver cinco atitudes básicas: CURIOSIDADE (explorar diversos ângulos de um problema em busca de novas perspectivas); COMBINAÇÃO (reunir diferentes ideias, recursos e produtos e combiná-los para criar novos conceitos); COMUNIDADE (conectar-se com mais e diferentes pessoas para desenvolver novas ideias); CORAGEM (enfrentar conversas difíceis e encorajar os demais a enfrentá-las); COMBUSTÃO (mobilizar e encorajar as redes a pensar diferente também).
 
Esta proposta, não tão nova, coloca-nos frente ao maior de todos os desafios, ao mesmo tempo em que apresenta a melhor e única solução, nunca escondida, sempre disponível e ao alcance de todos: a responsabilidade por sermos plenamente humanos, passa, necessariamente por relacionamentos consistentes, saudáveis e maduros. Sem relações não apenas deixamos de fazer coisas, mas negamos nossa essência. Bora ser humanos!
 

Comentários



Sobre o Autor


Padre Ivanaldo Gonçalves de Mendonça

Pe. Ivanaldo e pós-graduado em Psicologia, pároco da Paróquia São José de Olímpia e Coordenador Diocesano de Pastoral. E-mail: ivanpsicol@hotmail.com

Artigos do Autor