Artigos


Expressão de Amor


Segunda-feira, 16 de setembro de 2019


Imagem | Expressão de Amor

Com as duas palavras do título podemos resumir o que está faltando no mundo e essa falta poderíamos reduzir a uma palavra: “Perdão” ou “Amor.” Porém, hoje, estas duas  palavras foram corrompidas pelo vírus diabólico do “egoísmo.” O perdão e o amor simbolizam as forças com as quais Deus criou o mundo e ofereceu a todo ser humano para que continue cuidando dele seja um jardim grande e bonito, onde todos os seus filhos encontrem seu lugar para morar e possam viver em paz. Mas, o vírus do egoísmo que o diabo semeou no coração do homem perturba a vida de todos e mudou o sentido destas duas palavras divinas. Agora, todos nós precisamos sofrer as suas consequências. E a Bíblia repete com insistência: “Deus quer paz para seu povo”.
 
Quando Jesus nos ensina a rezar, uma das preces é: “Perdoai as nossas ofensas, como nós perdoamos a quem nos ofendeu”. Estas palavras nos revelam duas verdades indispensáveis para vivermos em paz neste mundo e conseguirmos a felicidade eterna. Se quisermos viver em paz, precisamos ser semeadores da paz; porque o ódio e a violência gera mais violência e, por este caminho, nunca conseguiremos a verdadeira paz. Deus nos criou para participarmos da Sua felicidade eterna e nos oferece o perdão através da vida e da morte de Jesus, mas com a condição que, também, nós perdoemos aqueles que nos ofenderam.
 
A palavra de Deus, que encontramos nas páginas sagradas da Bíblia, insiste no que chamamos de “Expressão de Amor.” Porque, na verdade, em suas páginas, desde a primeira até a última, encontramos, junto com criação do universo, a maior expressão da sabedoria e do amor de Deus para com toda a humanidade. Todas as leituras da missa do 24º Domingo do Tempo Comum, da Liturgia da Palavra do dia 15, são um resumo desta realidade necessária para resolver a situação da corrupção e da violência que, hoje, atormenta a vida de todos neste mundo, sem saber o que está acontecendo na outra vida.
 
A primeira leitura tirada do livro do Êxodo apresenta a realidade do povo de Israel que estava sendo escravo e maltratado pelo Faraó, no Egito. E Deus viu os sofrimentos do seu povo, chamou a Moisés que voltasse ao Egito para livrar seu povo daquela escravidão e os conduziu no deserto onde receberam toda a proteção divina. Por isso, alguns afirmam que Moisés é o símbolo do Salvador; ele libertou o povo de Israel da escravidão do Egito, e Jesus libertou todo o povo de Deus do pecado.
 
São Lucas, no seu evangelho (15,1-32), nos lembra as duas parábolas mais lindas de Jesus para que nós entendamos a confiança depositada no pecador, e com o carinho com que Ele o trata. Na parábola do Bom Pastor vemos que o pastor, ao encontrar a ovelha perdida, coloca-a nos ombros com alegria e a leva para casa. E outra parábola, frequente em nossos dias, do pai que tinha dois filhos. "O mais novo disse ao pai: 'dá-me a parte de herança que tenho direito porque quero ir embora". Dias mais tarde, pegou a parte dele e foi embora e gastou tudo numa vida desenfreada. Quando terminou o dinheiro sumiram os amigos e as amigas, e ele precisou procurar trabalho. Só encontrou um sitiante que o mandou à sua chácara para cuidar dos porcos. Neste momento lembrou: 'Na casa do meu pai todos têm pão em abundância, e aqui, eu morro de fome'. Resolveu voltar para a casa do pai. Estava ainda longe, quando viu o pai correndo, abraçou-o e mandou fazer uma festa: 'porque ele estava perdido e foi encontrado'”.
 
Imagem: Canção Nova

Comentários



Sobre o Autor


Monsenhor Antonio Santcliments Torras

Pároco emérito da Paróquia São João Batista de Olímpia
 

Artigos do Autor