Artigos


Ser senhor das situações


Segunda-feira, 08 de julho de 2019


Imagem | Ser senhor das situações

Resistir à força dos ventos é desafiante também aos fortes e grandes. Até mesmo ao mais experiente capitão é desafiante lidar com as bravas ondas do mar. Força dos ventos e ondas do mar, representam aqui, tudo o que espanta, desestabiliza, desespera, incomoda e destrói. Surpresas, dificuldades, problemas, conflitos de ordem interna e externa... Tantas vezes, a calmaria dá lugar à tormenta que, em segundos, arrebentando tudo, provoca reviravoltas inimagináveis.
 
O vento sopra forte, o mar, furioso, parece espancar o barco. A pescaria tornou-se um tormento. Os pescadores, acostumados a lidar com situações dessa natureza, desesperam-se. Enquanto isso, Ele dorme. Em situações de grande tensão, quando a vida está em risco, tudo é possível, menos dormir.  A força desaparece, o cérebro não processa informações, a ansiedade prevalece. Para resistir aos solavancos e tempestades da vida é necessário algo mais. Ele dorme porque possui algo mais!
 
Na busca pela excelência, o ser humano deve aprender a ser senhor das situações, ou seja, ser capaz de administrar, sobretudo, as situações mais difíceis, tempestades e tormentas da vida. Nessa busca, é fundamental desenvolver a consciência em relação a si, em relação às pessoas, em relação às coisas. Nessa busca, é essencial desenvolver a consciência em relação a quem/ao que é maior que a si, maior que os outros e maior que as coisas.
 
Por melhor que eu seja, sou apenas eu. Colocar a razão de ser e absoluta confiança em si próprio, é ignorar as leis da natureza; diante da imensidão do cosmo, sou menos que um grão de areia. Por melhor que o outro seja, ele é apenas o outro. Colocar a razão de ser e absoluta confiança no outro é abraçar a decepção; ele é como eu e você. Por melhor que as coisas sejam, são apenas coisas. Colocar a razão de ser e a absoluta confiança em coisas é lançar-se ao vazio.
 
“E ele, despertando, repreendeu o vento, e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. E o vento se aquietou, e houve grande bonança." Jesus dormia tranqüilo porque sua referência É maior que Ele, maior que os experientes pescadores, maior que a embarcação que os abrigava, maior que a força dos ventos, maior que as ondas do mar. Na tranquilidade, confiança, maturidade e equilíbrio Ele expressa: “Deus é meu Senhor e minha segurança.” Falava mais alto a força da tempestade, porém, falou mais profundo a força da fé!
 
Os que têm como senhor a si próprios, os outros e as coisas, perguntam: “Quem é este que até o vento e o mar lhe Obedecem?”. Em Deus, Senhor absoluto, pela força da fé, aprendamos calar as forças destruidoras que querem imperar, dentro e fora de nós.  Nesse caminho, Ser senhor das situações, é conseqüência.
 

Comentários



Sobre o Autor


Padre Ivanaldo Gonçalves de Mendonça

Pe. Ivanaldo e pós-graduado em Psicologia, pároco da Paróquia São José de Olímpia e Coordenador Diocesano de Pastoral. E-mail: ivanpsicol@hotmail.com

Artigos do Autor