Notícias


“Doutrina Social da Igreja e Políticas Públicas” foi o tema do 4º Simpósio das Pastorais Sociais


Terça-feira, 21 de maio de 2019


Foto | “Doutrina Social da Igreja e Políticas Públicas” foi o tema do 4º Simpósio das Pastorais Sociais

O 4º Simpósio das Pastorais Sociais da Diocese de Barretos foi realizado na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, na cidade de Olímpia, no sábado (18) com o tema: “Doutrina Social da Igreja e Políticas Públicas”.
 
Pelo segundo ano, o simpósio contou com a assessoria do padre Antônio Aparecido Alves (padre Toninho), da Diocese de São José dos Campos, que é doutor em Teologia Sistemático-pastoral pela PUC do Rio de Janeiro, formado em Teologia pela ITSCJ-PUC-Rio, mestre em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma com especialização em Doutrina Social da Igreja. O presbítero faz parte do grupo de assessores do Centro Fé e Política, organismo da CNBB.
 
 
 
“Nossa participação nas políticas públicas é como cristãos e assim sendo, é voltada para a perspectiva da misericórdia”, disse o padre que apresentou documentos e textos do Papa Francisco que frisam a importância deste modo de vida.
 
O presbítero salientou a importância de vivermos com o olhar atento aos mais necessitados, aos que vivem à margem da sociedade, aos que têm fome, aos doentes e enfermos, às crianças, mulheres e aos mais fragilizados, pois estes eram os grupos que recebiam o olhar carinhoso de Jesus. “Ser misericordioso é ir além da justiça...”, destacou.
 
Divididos em cinco grupos, os participantes debateram sobre o que fazer para despertar a conscientização e incentivar a participação dos cidadãos no acompanhamento das políticas públicas. Os grupos apresentaram em plenária duas propostas a partir do questionamento proposto, como por exemplo, incentivar a comunidade para a participação dos conselhos e da vida política, incentivo ao estudo dos documentos da Campanha da Fraternidade 2019 que trata sobre as políticas públicas, e o uso dos meios de comunicação social, testemunho de vida, e a distribuição de material impresso etc. 
 
O assessor motivou os presentes a não terem medo de se envolverem nas questões sociais. “Temos que ser diferentes de Jonas que fugiu da grande cidade e acabou no ventre do peixe. Muitas vezes fugimos dos projetos sociais e preferimos nos assegurar no ventre quente de nossas paróquias”, disse.
 
O padre também falou sobre a necessidade do conflito, e que este não pode ser confundido com o confronto, e sugeriu materiais para estudo e a criação de uma escola diocesana sobre Fé e Política.
 
Equipe de reportagem da Rede Vida registrou o evento
 
Membros da Comissão da 5ª Urgência “Igreja a serviço da vida plena para todos” que organizou o evento
 
 
Fotos: Divulgação

Comentários