Notícias


Restos mortais do Servo de Deus André Bortolameotti são depositados em sarcófago no Santuário N. Sra. do Rosário em Barretos


Terça-feira, 30 de novembro de 2021


Foto | Restos mortais do Servo de Deus André Bortolameotti são depositados em sarcófago no Santuário N. Sra. do Rosário em Barretos

Processo diocesano deve ser enviado para o Vaticano no primeiro semestre de 2022
 
Aconteceu na noite de segunda-feira (29), no Santuário Diocesano Nossa Senhora do Rosário, no final da Eucaristia, o reconhecimento canônico dos restos mortais do sacerdote professo da Congregação de Jesus Sacerdote, o Servo de Deus André Bortolameotti.
 
O chanceler do bispado, padre Luís Fernando do Nascimento fez a leitura da ata de reconhecimento canônico dos restos mortais do sacerdote professo da Congregação de Jesus Sacerdote, e em seguida Dom Milton Kenan Júnior, bispo diocesano, fez a lacração das urnas com os ossos e relíquias. O lacre garante a autenticidade das relíquias quando da beatificação do padre André que não tem prazo definido para acontecer.
 
Um antigo altar mor, ao lado de onde ficava o túmulo, na lateral do santuário, foi adaptado para ser o sarcófago onde foi depositada a urna.
 
A celebração foi concelebrada por diversos padres da diocese, e contou com a presença da Prefeita de Barretos, Paula Lemos, do presidente da Fundação Pio XII, Henrique Prata que, junto a outras pessoas assinaram o pergaminho da ata de reconhecimento dos restos mortais que também foi depositada na urna.
 
O processo diocesano está previsto para terminar no primeiro semestre do ano que vem. O trabalho concluído será encaminhado para a Santa Sé para que a Congregação da Causa dos Santos que dará o parecer final. Depois, o parecer será apresentado ao Papa Francisco que declara ou não Venerável o padre André seguindo o processo de beatificação.
 
 
 
Falecido aos 28 de outubro de 2010, o padre André conquistou fama de santo em razão de suas virtudes evangélicas, e foi exumado no último dia 22.
 
Durante uma semana, os restos mortais passaram por um tratamento especial para conservação com o perito em exumação em causas de beatificação, o padre Tiago Medeiros, e o Dr. Alexandre Oliveira Cecin, radiologista, catalogou e identificou as partes do corpo.
 
 
 
 
 
 
 
Fotos: Márcio Oliveira

Comentários