Artigos


Advento: o Filho do homem voltará numa nuvem com grande poder e glória


Segunda-feira, 03 de dezembro de 2018


Imagem | Advento: o Filho do homem voltará numa nuvem com grande poder e glória

O Avento é o tempo de preparação para celebrar o Natal de Jesus. Isto todos nós sabemos e aprendemos desde criança. Porém, não fomos preparados para pensar se é este o verdadeiro significado do Tempo de Advento, ou se tem outros. Hoje, uma série de acontecimentos levam-nos a duvidar que este seja o seu principal sentido, ainda que muitas famílias participem da Novena de Natal e outras façam o presépio.
 
Quando vemos que o Papai Noel é mais lembrado que Jesus, e a sua mensagem de egoísmo e consumismo tem mais aceitação do que o exemplo e os conselhos que o Senhor nos dá, obrigam-nos a pensar se o que aprendemos, desde criança é verdade, mas não toda a verdade. A Igreja, na liturgia do domingo, mostrou-nos que esta dúvida tem fundamento e nos convidou a meditar.
 
No dia 25 de novembro, com a Festa de Cristo Rei, encerrávamos o Ano Litúrgico para lembrar-nos que da mesma forma que todos os anos terminam, terminou a vida de muitas pessoas e todas elas apresentaram contas a Ele do que fizeram aqui na terra. Só as que imitaram o seu exemplo e seguido os seus ensinamentos foram convidados a tomar posse do Reino que o Pai preparou para todos desde a criação do mundo. Este é o caminho que deveremos seguir todos nós.
 
No primeiro domingo do Advento, a primeira leitura do livro do profeta Jeremias (Jr 33.14-16) nos fala de como é o Reino que Ele ensinou-nos com o seu exemplo e a sua palavra, dizendo: “Eis que virão dias, diz o Senhor, em que farei cumprir a promessa de bens futuros para a casa de Israel e para a casa de Judá. Naqueles dias, naquele tempo, farei brotar de Davi a semente da justiça, que fará valer s lei e a justiça na terra. Naqueles dias Judá será salvo e Jerusalém terá uma população confiante; este é o nome que servirá para designá-la: O Senhor é a nossa Justiça”.
 
São Paulo (1Ts 3,12-4,2) nos conta como pode ser realizada a transformação de uma sociedade injusta para uma a situação de justiça dizendo: “Irmãos, o Senhor vos conceda que o amor entre em vós e para com todos aumente e transborde sempre mais, a exemplo do amor que temos por vós. Que assim ele confirme os vossos corações numa santidade aos olhos de Deus, nosso Pai, no dia da vinda do Senhor Jesus”. Com estas palavras, nos revela três verdades importantes: primeiro, o Rei a quem deveremos prestar contas é Jesus como homem, por isso Ele nos convidará a tomar posse do Reino que o Pai preparou para todos desde a criação do mundo. Em segundo lugar, Ele é chamado de primogênito porque é o primeiro homem que viveu como o Pai quer. E em terceiro lugar é lembrar-nos que a nossa missão é transformar, pelo amor, este mundo que nós destruímos pelo egoísmo e injustiça.
 
São Lucas (Lc 21,25-29) nos alerta que teremos de ver coisas horríveis: “Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: ‘Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra as nações ficarão angustiadas, com o pavor do barulho do mar e das ondas. Os homens vão desmaiar de medo só no pensar no que vai acontecer no mundo porque as forças do céu serão abaladas. Então eles verão o Filho do homem vindo numa nuvem com grande poder e glória’”.
 
Imagem: leandroquadros.com.br

Comentários



Sobre o Autor


Monsenhor Antonio Santcliments Torras

Vigário paroquial da Paróquia São João Batista de Olímpia
 

Artigos do Autor