Artigos


Artigo do Mons. Jonas Abib: Amar é despojar-se


Domingo, 08 de novembro de 2020


Imagem | Artigo do Mons. Jonas Abib: Amar é despojar-se

“Amai-vos uns aos outros” é o amor compartilhado: amamos e somos amados. É um amor concreto, no qual perdoamos e somos perdoados, compreendemos e somos compreendidos. Existe o amor humano, o amor da amizade, e o amor ágape: o amor próprio de Deus.

O Pai ama tanto o Seu Filho, que se doa inteiramente a Ele. O Filho recebe esse amor e também ama o Pai . É um amor em circulação, em atividade. É como a eletricidade: o movimento produz energia. E este amor em movimento é o próprio Espírito Santo.

O amor que há em Deus, na Trindade, é pura doação. Deus quis que esse amor existisse no meio das criaturas. Jesus começou amando pessoas concretas - João, Pedro, Tiago - e também os ensinando a se amarem, perdoarem e conviverem em harmonia.

Esse amor em funcionamento é o amor de Deus vivendo entre nós: o amor ágape, o amor caridade. No fim de sua vida terrena, Jesus pôde afirmar: “Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim, como eu vos amei” (Jo 15, 12). E quando amamos assim, Jesus está em nosso meio.

O Espírito Santo está vivo e operante no meio de nós. O Pai está derramando continuamente sobre nós o seu Espírito Santo, que é o amor, para vivermos o amor ágape, o amor próprio da Trindade.

Deus é amor, e o que nos constrói à sua imagem é o amor em várias fases. Em determinado momento, amar é perdoar, noutro é ajudar; num momento é ouvir, noutro é calar, falar repreender, aguentar pacientemente; num momento é lavar pratos, noutro é dar aulas…

É por meio do amai-vos que nos transformamos momento após momento, à imagem de Deus, de acordo com o protótipo Jesus Cristo. A palavra de Jesus é muito clara e concreta: amar é despojar-se, é dar a vida, é gastar-se, doar-se em cada gesto de amor. É dar de nós, é renunciar a nós mesmos. Jesus falou: “Ninguém pode ser meu discípulo se não renunciar a si mesmo”.

 

Comentários



Sobre o Autor


Monsenhor Jonas Abib

Fundador da Comunidade Canção Nova, presidente da Fundação João Paulo II, mantenedora do Sistema Canção Nova de Comunicação, em Cachoeira Paulista (SP) e reitor do Santuário do Pai das Misericórdias. É um dos religiosos que mais se destacou utilizando os meios de comunicação na ação evangelizadora da Igreja Católica, na América Latina. Autor de 57 livros, CDs e DVDs, além de várias palestras em áudio e vídeo.

Artigos do Autor